inteligência emocional

Na evolução pela emoção o ser humano é apenas reativo, pois (1) para aumentar a sensação de bem-estar ele busca naturalmente aumentar e manter os sentimentos agradáveis e diminuir e eliminar os desagradáveis e (2) a emoção permite a ele sentir se o ato praticado "foi bom" ou "foi mal" e se deve ser repetido ou evitado, o que induziria a uma evolução natural. Por outro lado, a evolução baseada apenas na razão não é possível, pois (1) ele não teria senso de direção, como saber se o Norte dado às ações é o correto, o que o deixaria nas mãos do ideólogo da vez, (2) não teria também como saber o próprio grau de evolução (da mesma forma que um robô nunca poderá obter esta resposta), o que induziria a uma massificação do comportamento, à tentação de igualar os desiguais, e (3) não teria a percepção do outro, de seu sofrimento. Entretanto, da interação da emoção com a razão resulta um ser humano proativo, pois por meio do pensamento ele pode atuar sobre os sentimentos (e estes sobre a emoção), ou seja, a manutenção do pensamento correto conduz paulatinamente à emoção correta. A união da razão com a emoção possibilita a aquisição da sabedoria necessária para agilizar e otimizar a evolução, dando à vida o melhor sabor - o de felicidade.

Inteligência é a capacidade de obter o melhor resultado em um contexto específico. Considerando que todas as ações humanas são contextuais e egoísticas, inteligente é a pessoa que, em um determinado contexto, obtém o melhor resultado para si.

Inteligência emocional é a relacionada à consciência dos sentimentos, próprios e dos outros, e da influência deles no processo decisório. Inteligência racional é a relacionada ao conhecimento/percepção dos fatos e de suas interações com os sentimentos, bem como à capacidade de tomar decisões corretas. No processo decisório, as inteligências emocional e racional se complementam, uma não prescinde da outra quando se busca o melhor resultado. Inteligência espiritual é a relacionada à capacidade do ser humano de identificar/intuir um sentido para a vida, que é a pedra fundamental na criação de um contexto geral, onde a vida se passa, sem o que ficam limitados o alcance e a eficácia das decisões decorrentes da união das inteligências emocional e racional.

Inteligente emocional é a pessoa que (1) permite que a emoção cumpra o seu papel no processo evolutivo, (2) busca a compreensão da emoção e não o seu controle (ou anulação), (3) busca o aprimoramento da emoção, via pensamento correto e (4) no processo decisório, dá à emoção a importância devida.

Inteligência não é o mesmo que sabedoria. A inteligência é apenas uma facilidade na busca da sabedoria e na satisfação das necessidades e desejos. A inteligência, quando associada ao esforço e concentração corretos, facilita a compreensão correta do sentido da vida e a consciência correta da realidade, o que leva a pensamentos e sentimentos corretos e, consequentemente, a uma vida feliz. Todo sábio é inteligente, mas nem todo inteligente é sábio.