paixão


Na dimensão do Ter a paixão é o maior dos desejos.

Na paixão o desejo de posse é acentuado e há um prazer intenso nas questões relacionadas aos sentidos (visão, olfato, tato, audição, paladar e atração sexual) e quanto maior a quantidade deles envolvida, maior a paixão.

O gostar intensamente de algo não implica necessariamente em uma paixão, pois o desejar é sempre uma opção naquilo que excede as necessidades. Uma pessoa, por questões culturais/religiosas ou por crer que não está ao seu alcance, pode gostar muito de algo e não desejá-lo, por exemplo.

Na dimensão do Ter são inúmeras as possibilidades de se apaixonar por algo, mas a paixão por outro ser humano é a maior de todas, visto ser a única com capacidade de envolver todos os sentidos. É na paixão pelo outro que o desejo sexual encontra o seu objeto/foco e atinge o ápice; o mesmo acontecendo com o prazer obtido na sua satisfação. Na paixão recíproca o homem material vive a vida em sua plenitude.

Por ser uma maximização de desejo e de prazer, a paixão tende a se tornar obsessiva (apego) e a criar dependência e, por ser passageira, dificulta a manutenção de relações duradouras, pois assim que o dependente sente diminuir uma paixão ele passa a buscar uma outra.